A operação logística em Farmácias para atender às compras realizadas no e-commerce é muito mais complexa do que a de outros segmentos do mercado. O processo só se assemelha as compras de um e-commerce de Grocery (Supermercados).

Primeiro, mix é extremamente amplo. São milhares de diferentes produtos a venda, inclusive alguns refrigerados ou até químicos, que precisam de cuidados de envio especiais. Alguns deles inclusive com dimensões muito pequenas, dificultando o controle e contagem de itens.

Depois, um dos problemas é a disponibilidade de estoque. Já que o sortimento é amplo, é extremamente caro e complexo manter em uma loja todo o estoque disponível de todos os produtos.

Outro problema é o controle de venda de alguns produtos, que devem ter sua receita apresentada equanto outros, não podem nem ser vendidos.

Por fim, para complicar ainda mais caso você ainda não tenha sentido um frio na barriga, o tempo de entrega é extremamente curto, algumas horas apenas. Afinal, não podemos esperar 2 dias por um remédio, não é mesmo?

Qual o papel de uma plataforma de e-commerce nesse processo logístico?

Para ajudar nesse processo, a inteligência da plataforma de comércio eletrônico é fundamental. Inicialmente a plataforma de e-commerce deve ter a inteligência de trabalhar com multi centros de distribuição. Assim, é possível que cadeias maiores possam tratar suas principais lojas como mini centros de distribuição, aumentando o mix de produto e também a disponibilidade de estoque.

Cross docking entre centros de distribuição ou lojas

Outra funcionalidade importante, é a possibilidade de cross docking entre esses centros de distribuição. Vou explicar. Imaginemos um cliente que compre 1 produto para dor de cabeça e outro para gripe. Caso essa funcionalidade de cross docking entre lojas, ou seja, a interação entre estoques de diferentes lojas não exista, o cliente vai verificar que aquele pedido não pode ser entregue pois o centro de distribuição, a loja, que iria atendê-lo não possui ambos produtos em estoque.

Agora, se a plataforma possui a inteligência de cross docking, ela irá informar que um dos itens está em estoque para pronta entrega em poucas horas, já o outro será entregue algumas horas depois, já que o item deverá sair de outra loja, mais distante, para compor o pedido completo do cliente.

Multi transportadoras e multi modais

A plataforma também deve ser capaz de trabalhar com multi transportadoras e multiplos modais.

Veja, se o cliente está em um raio próximo a uma das lojas de entrega, o sistema pode automaticamente habilitar a entrega expressa por motoboy. Mas se o cliente está distante, ele só terá a opção de entrega via correios ou a transportadora tradicional. Agora, se o item precisa obrigatoriamente ser enviado em um ambiente refrigerado, pois possui um determinado selo da ANVISA, o motoboy não poderá enviar, nem os correios. Nesse caso precissaremos de um transporte especial! Tudo isso, a plataforma deve ser capaz de gestionar, sem precisar de um sistema de ERP para consultas online, o que acarretaria em um grande aumento de ponto de falhas, diminuindo as vendas.

Venda de produtos controlados

Por último, um dos problemas também é a venda de produtos controlados. Alguns deles precisam de receita. Portanto o cliente deverá fazer o upload dela no carrinho de compras, para que haja uma conferência pela equipe interna da loja. Adicionalmente, as lojas cobram que o cliente entregue a via original no momento de recebimento da mercadoria. Agora, se o item é tarja preta, a plataforma deverá falar ao cliente para entrar em contato por telefone, já que o item não pode ser vendido sem prévia conversa.

Separação e entrega de mercadorias

Agora, um outro desafio do mundo de farmácias, é o processo de análise de pedidos, separação (picking), embalagem (packing) e despacho, precisa se adaptar para atender a farmácia no e-commerce. No lugar dos armazéns, o picking é realizado no próprio ponto de venda, ou seja, nas gôndolas.

O mesmo acontece nos supermercados, para não interferir nas operações dos PDVs a separação precisa ser feita em horários estratégicos, quando o fluxo de clientes for baixo ou nulo nas lojas (preferencialmente em horários noturnos). Além disso, como os compradores físicos e virtuais “competem” pelos mesmos produtos, pode acontecer que uma mercadoria vendida no e-commerce tenha esgotado no PDV antes do picking. Nesses casos, as lojas virtuais devem dar aos clientes opções como a aceitação de produtos similares ou vale-compras.

Ainda sobre a separação de mercadorias, o método mais recomendado é o ‘picking por onda’, que consiste em agrupar os produtos por categoria, sem distinção de pedidos, reduzindo a movimentação no interior da loja e respeitando a perecividade.Esse método de separação favorece o packing, pois agrupa as mercadorias com características semelhantes e necessidades similares.

A logística para farmácias online deve ser muito bem planejada, pois a rentabilidade de todo o negócio depende dela.

 

SEJA NOSSO PRÓXIMO CASE DE SUCESSO!

SOLICITAR ORÇAMENTO

Deixe uma resposta